Baader-Meinhof: Randall Munroe edition

Isso:

There are tens of thousands of genes in the human genome: minuscule twists of DNA and RNA that combine to express all of the traits and characteristics that make each of us unique. Each gene is given a name and alphanumeric code, known as a symbol, which scientists use to coordinate research. But over the past year or so, some 27 human genes have been renamed, all because Microsoft Excel kept misreading their symbols as dates.

Me lembrou disso:

Da audácia de corrigir Randall Munroe

De uma resenha/entrevista da Slate sobre o último livro do Randall Munroe:

Next, Munroe says he remembers reading a sci-fi story, though he can’t recall the title, about a first-contact scenario that involves people trying to negotiate light-years away. “They finally realize that the best way isn’t to send questions and wait for responses, it’s just to both continually transmit streams of information adjusting as they went because the interview format didn’t work,” he says.

Arrisco dizer que, como acontece com todos nós, a memória dele misturou histórias diferentes e, na verdade, a referência é “My Son, the Physicist” (título deveras adequado, inclusive), um dos meus contos preferidos do Isaac Asimov exatamente por causa desse twist final.

Burn, baby, burn

Do Terra, em Agosto de 2010:

O estrago provocado pelas queimadas em 2010 pode ser maior do que em 2007, quando foi registrado o maior número de incêndios dos últimos cinco anos. (…) Segundo Paulo Carneiro (coordenador das Unidades de Conservação Nacional do ICMBio), a maioria das queimadas são provocadas por ação criminosa do homem e estão sendo investigadas, para que os culpados sejam punidos. “Os incêndios são causados pela ação criminosa que coloca fogo para renovar a pastagem e fazer manejo de recurso natural. Estamos fiscalizando e fazendo perícia para que os causadores disso sejam responsabilizados”, afirmou Carneiro. (…) Em 2010, até aqui, foram contabilizados 37,7 mil focos.

Do G1, em Agosto de 2010:

O número de queimadas no Brasil cresceu 53,3% em cinco anos, segundo dados reunidos pelo G1 junto ao Inpe. (…) Há meia década atrás, haviam sido identificadas 26,2 mil queimadas nos primeiros seis meses de 2007 pelos satélites do Inpe. Já neste ano, no mesmo intervalo de tempo, foram 40,2 mil focos de incêndio. (…)Para o pesquisador do Inpe Alberto Setzer, responsável pelo monitoramento de queimadas, há três fatores que levam ao aumento dos focos de incêndio: o clima seco, a expansão agropecuária e a fiscalização deficiente.

Do R7, em Junho de 2015:

Em 2010, o ano com maior número de queimadas e incêndios, foram 249.274 focos ao todo.

Do G1, em Dezembro de 2017:

Com 270.479 focos de incêndio, 2017 já é o recordista em número de queimadas de toda a série do Inpe, iniciada em 1999. (…) Para o pesquisador Alberto Setzer, (…)
vários estados ficaram sem precipitação, propiciando que os incêndios se alastrassem e atingissem áreas maiores, diz. “Mas o principal foi o descontrole por parte da fiscalização, porque a gente está falando em crimes sendo cometidos.”

Do Estadão, em Agosto de 2019:

O número de focos de queimadas no País já é o maior dos últimos sete anos. De De 1.º de janeiro a este domingo, 18, foram registrados 71.497 focos em todo o País. (…) O pesquisador Alberto Setzer explica que o clima neste ano está bem mais seco que no ano passado, o que torna o cenário favorável para queimadas, mas ele diz que elas não tem origem natural. “Nesta época do ano não há fogo natural. Todas essas queimadas são originadas em atividade humana, seja acidental ou proposital. A culpa não é do clima, ele só cria as condições, mas alguém bota fogo”, afirma. (…)

Finalmente, segundo o site do Inpe, se estou sabendo ler a tabela, o ano com mais focos de queimadas foi 2007, com 393.915 focos.

Baader-Meinhof: nudes edition

The Atlantic, sobre os nudes do Jeff Bezos:

If the blackmail allegations are true, it seems as if AMI’s math was a little off on exactly how scandalous a few racy photos are at this point in America’s smartphone saturation, and how much an already powerful person could be harmed by their revelation.

Sete anos atrás, projeto da Confraria Onanista (é uma história em quadrinhos, mas vou copiar um pedaço dos textos):

Se todas as pessoas do mundo batessem uma foto com um pau na boca, o fellatio não seria considerado pervertido ou degradante. Se todos tiverem um registro online com um membro sexual masculino em seu rosto, não haverá mais preconceito. Só um click e seremos todos iguais.

As mídias sociais vão acabar com a democracia

Inside the Weird, Dangerous World of Japan’s Girl ‘Idols’, no Daily Beast:

What Yamaguchi Maho and the other idols have done by coming out now is groundbreaking. You would’ve never seen this before in the old days with Onyanko Club [a mega idol group in the 1980s]. It would’ve been career suicide. Really, social media has allowed for this to happen.”

China Deletes 7 Million Pieces of Online Information, Thousands of Apps – no NY Times.

Control of the internet has tightened under President Xi Jinping – an effort that has accelerated since 2016, as the ruling Communist Party seeks to crack down on dissent in the booming social media landscape.