Burn, baby, burn

Do Terra, em Agosto de 2010:

O estrago provocado pelas queimadas em 2010 pode ser maior do que em 2007, quando foi registrado o maior número de incêndios dos últimos cinco anos. (…) Segundo Paulo Carneiro (coordenador das Unidades de Conservação Nacional do ICMBio), a maioria das queimadas são provocadas por ação criminosa do homem e estão sendo investigadas, para que os culpados sejam punidos. “Os incêndios são causados pela ação criminosa que coloca fogo para renovar a pastagem e fazer manejo de recurso natural. Estamos fiscalizando e fazendo perícia para que os causadores disso sejam responsabilizados”, afirmou Carneiro. (…) Em 2010, até aqui, foram contabilizados 37,7 mil focos.

Do G1, em Agosto de 2010:

O número de queimadas no Brasil cresceu 53,3% em cinco anos, segundo dados reunidos pelo G1 junto ao Inpe. (…) Há meia década atrás, haviam sido identificadas 26,2 mil queimadas nos primeiros seis meses de 2007 pelos satélites do Inpe. Já neste ano, no mesmo intervalo de tempo, foram 40,2 mil focos de incêndio. (…)Para o pesquisador do Inpe Alberto Setzer, responsável pelo monitoramento de queimadas, há três fatores que levam ao aumento dos focos de incêndio: o clima seco, a expansão agropecuária e a fiscalização deficiente.

Do R7, em Junho de 2015:

Em 2010, o ano com maior número de queimadas e incêndios, foram 249.274 focos ao todo.

Do G1, em Dezembro de 2017:

Com 270.479 focos de incêndio, 2017 já é o recordista em número de queimadas de toda a série do Inpe, iniciada em 1999. (…) Para o pesquisador Alberto Setzer, (…)
vários estados ficaram sem precipitação, propiciando que os incêndios se alastrassem e atingissem áreas maiores, diz. “Mas o principal foi o descontrole por parte da fiscalização, porque a gente está falando em crimes sendo cometidos.”

Do Estadão, em Agosto de 2019:

O número de focos de queimadas no País já é o maior dos últimos sete anos. De De 1.º de janeiro a este domingo, 18, foram registrados 71.497 focos em todo o País. (…) O pesquisador Alberto Setzer explica que o clima neste ano está bem mais seco que no ano passado, o que torna o cenário favorável para queimadas, mas ele diz que elas não tem origem natural. “Nesta época do ano não há fogo natural. Todas essas queimadas são originadas em atividade humana, seja acidental ou proposital. A culpa não é do clima, ele só cria as condições, mas alguém bota fogo”, afirma. (…)

Finalmente, segundo o site do Inpe, se estou sabendo ler a tabela, o ano com mais focos de queimadas foi 2007, com 393.915 focos.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *